Coitadinho

No fim dos anos sessenta, princípio dos anos setenta, havia uma só televisão na minha aldeia, a preto e branco é claro. Era na taverna e mercearia do Larepas.La se faziam as compras, ao domingo íamos ver a tarde de cinema e às quintas-feiras à noite a tourada. Não havia supermercados pelo menos na nossa cidade de Pombal.So mesmo nas maiores cidades. Quando precisávamos de um vestido íamos à costureira. Em minha casa, por exemplo, de vez em quando vinha a costureira trabalhar ao dia. Trazia a maquina de costura e cosia de tudo, desde cortinas até as calças, combinações (eu sei que a maior parte de vocês não sabe o que é), 😀😀😀 etc,.. Quando se queria comer um frango, ia se à capoeira e matava se um.Quando se estava a mater um destes bichinhos era proibido dizer”coitadinho” pois, segundo os adultos, o bicho levava mais tempo a morrer.😀 Escusado será dizer que, onde nos soubéssemos que ia haver galo morto, ia haver a canção do coitadinho cantada por todos os putos da aldeia.😀😀 :D  Eram os nossos momentos de rebelião. Um pensamento especial para a Ti Carma que, nesses momentos, era a nossa vitima favorita. Normal, ela ajudava à festa correndo atrás de nos e enviando milhares de ameaças! E o pior é que parecia verdade, o galo nunca mais morria!!!😀😀

Abraços

2 responses to “Coitadinho

  1. Se a festa era essa para um galo nem quero imaginar para um porco…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s